Notícias Colégio Santa Sofia

Professor da Rede ganha prêmio literário

06/08/2021 às 12h01

O poeta e professor de literatura do Colégio Santa Sofia, unidade da Rede Damas Educacional em Garanhuns/PE, Helder Herik foi um dos autores vencedores do 7° Prêmio Hermilo Borba Filho de Literatura, promovido pela Secretaria de Cultura de Pernambuco (Secult-PE), em parceria com a Cepe Editora.

Esta é a segunda vez que o educador conquista o prêmio. Ele escreveu a obra “Auto de Javalis e Unguentos”, que será publicada pela Cepe. Na segunda edição, quando o concurso ainda se chamava Prêmio Pernambuco de Literatura, ele ganhou com o livro: “Rinoceronte Dromedário”.

O Prêmio Hermilo Borba Filho de Literatura é voltado para publicações inéditas nos gêneros conto, poesia ou romance. Tem como objetivo fomentar a produção literária em todas as macrorregiões de Pernambuco por meio de uma política editorial que busca democratizar o acesso ao livro e à leitura, e apresentar-se como uma estratégia de promover a distribuição e circulação da literatura contemporânea pernambucana, aliando-se a outras atividades de fruição e formação de público leitor desenvolvidas pela Secult-PE/Fundarpe.

“Quando sua obra é escolhida entre as melhores, mostra que seu trabalho está no caminho certo e numa orientação que vem trilhando os caminhos da estética literária. Fico muito feliz de ter sido premiado”, declarou o professor Helder Herik.

O educador afirma ainda que o prêmio é de grande importância para o Agreste pernambucano e mostra a força de Garanhuns na literatura inspirando diversos estudantes do Sertão Pernambucano a seguirem a mesma trajetória. 

Hermilo Borba Filho

Escritor, dramaturgo, jornalista, encenador, tradutor, crítico de teatro, incentivador da cultura popular nordestina, Hermilo Borba Filho nasceu em Palmares (PE) em 8 de julho de 1917 e morreu no Recife em 2 de julho de 1976. Publicou sete romances, três livros de contos, duas novelas, doze pesquisas e ensaios e mais de uma dezena de traduções (entre as quais de Marquês de Sade, Leon Tolstoi, Calderon de La Barca, e Jorge Luís Borges), além de 23 peças, das quais sete foram publicadas em vida.

Com informações da Secretaria de Cultura de Pernambuco (Secult-PE) e da Cepe.